A LUTA CONTINUA!


ONDE A SERIEDADE É FULEIRA... E A FULEIRAGEM É SÉRIA!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

POESIA POPULAR NORDESTINA

POESIA "CLÁSSICA"

 - POEMA DO CUME -

No cume daquela serra
Plantei uma roseira
O mato no cume cresce
A rosa no cume cheira.
- - x - -
Quando cai a chuva fria
Gotas no cume caem
Lagartos no cume entram
Abelhas do cume saem.
- - x - -
Mas se cai chuva grossa
A água no cume desce
O orvalho no cume brilha
A floresta no cume cresce.
 - - x - -
Depois que a chuva cessa
Ao cume volta a alegria
Pois torna a brilhar de novo
O sol que no cume ardia.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

É SÓ ALEGRIA!

DE: ARTIGO


JUCÁ ESTÁ CERTO: O BRASIL É UMA GRANDE SURUBA

Barra de S. Miguel, AL - Eu não sei, leitor, se você tem a mesma impressão, mas me parece que o Brasil entortou de vez. Os três poderes – tripé da sustentação de uma democracia – o Executivo, o Parlamento e o Judiciário se dissolveram na imoralidade e na bagunça geral. A sociedade, atônita, não espera mais nada dos seus representantes no Congresso Nacional e menos ainda do presidente da república e do judiciário, amordaçado por apadrinhamentos e interesses de grupos. A última instância, o STF, o que seria o guardião da Constituição, banalizou-se de tal forma que levou para o brejo a última esperança dos brasileiros enxergarem um país ético no futuro.

A indignação é fruto dos acontecimentos que ocorrem diariamente no país. Vejamos alguns exemplos: o Moreira Franco, citado inúmeras vezes na Lava Jato, passa a ter fórum privilegiado com o aval do STF. Portanto, está fora do alcance do juiz Sérgio Moro. O ex-presidente Sarney só pode responder por seus crimes ao Supremo Tribunal Federal, decisão dos ministros da Segunda Turma, mesmo não gozando de fórum privilegiado.

O senador Romero Jucá, envolvido na Lava Jato, antecipou-se ao que pensam os brasileiros e, sem arrodeios, foi direto na ferida: “É tudo uma suruba”. O Lula transformou a morte da mulher em espetáculo de marketing. E a Dilma, depois do chute no traseiro, decide que será candidata a senadora ou deputada.

Para desenvolver o resto desse artigo, vou me ater apenas ao ambiente de orgias do nobre senador. Vejamos: o Cabral, que chegou a liderar a lista dos presidenciáveis, vive hoje atrás das grades no presídio de Bangu. Eike Batista, até então a sétimo homem mais rico do mundo, divide uma cela minúscula com estupradores e assassinos no Rio. Eduardo Cunha, o ex-deputado e presidente da Câmara, passa os dias dentro da cadeia mandando recados desaforados para o Temer.

Mais: no STJ, o ministro Marcelo Navarro Ribeiro Dantas, nomeado pela Dilma para soltar Marcelo Odebrecht continua despachando normalmente, mesmo depois da Polícia Federal comprovar, e o Delcídio do Amaral confirmar, que ele seria o benfeitor de Marcelo e de outros comparsas dentro do tribunal. O Senado aprova o nome de Alexandre Moraes para substituir Teori Zavascki, um auxiliar de Temer, que defendia a tese de que ministros do STF não poderiam ser indicados no exercício de cargo no executivo. José Yunes, amigo do peito de Temer, detona Eliseu Padilha, a quem acusa de receber 1 milhão de suborno via seu escritório em São Paulo.

DE: PIADA

 - EL COMANDANTE -

Fidel morre e chega no céu, mas não estava na lista. Assim, São Pedro o manda ao inferno. Quando chega lá, o Diabo em pessoa o recebe e diz:
— Olá, Fidel, seja bem-vindo. Eu estava te esperando. Aqui você vai se sentir em casa.
— Obrigado, Satanás, mas estive primeiro no céu e esqueci minhas malas lá em cima.
— Não se preocupe. Vou enviar dois diabinhos para pegar suas coisas.
Os dois diabinhos chegam às portas do céu, mas as encontram fechadas porque São Pedro tinha saído para almoçar.
— Olha, é melhor pularmos o muro. Aí pegamos as malas sem perturbar ninguém.
Então, os dois diabinhos começam a escalar o muro. Dois anjinhos passavam por ali e ao verem os diabinhos, um comenta com o outro:

POESIA POPULAR NORDESTINA

sábado, 25 de fevereiro de 2017

DE: PIADAS

 PREÇO DA CONSULTA 
Após a consulta, o sujeito pergunta ao médico:
— Quanto é a consulta, doutor?
— São duzentos reais.
— Duzentos? Não tem um desconto para um colega de profissão?
— O senhor também é médico?
— Não, eu também sou ladrão!

 SEM NINGUÉM PERCEBER 
O homem vai até a delegacia prestar queixa de um roubo.
— O ladrão entrou lá em casa de madrugada e nem eu nem a minha mulher percebeu.
O delegado registra a queixa e no dia seguinte manda chamar a vítima.
— O elemento tá preso. Agora só falta recuperar o que ele roubou.
— Posso falar com ele, seu delegado?
— Pra quê?
— É que se ele me disser como conseguiu entrar lá em casa de madrugada sem acordar a minha mulher aí eu retiro a queixa e ele pode ficar com tudo o que ele roubou.

 PONTE DE SAFENA 
Um político ladrão vai preso depois de ser acusado de coagir testemunhas, desviar verbas públicas e roubar muito dinheiro público. Já no xadrez, a velha raposa passa mal do coração e é levada às pressas pra um hospital. Depois de todos os exames, o médico explica, com ar grave:
— Não chegou a ser um infarte, mas terei que fazer uma ponte de safena no senhor.
O político olha pra um lado, olha pro outro, puxa o médico pelo colarinho e diz baixinho no ouvido dele:

DICAS PARA O CARNAVAL

"CUIDADO NO CARNAVAL PARA NÃO DAR PT"
DIZ O PMDB EM PUBLICAÇÃO NO FACEBOOK
PT criticou e reagiu: 'credibilidade nunca foi o forte deles'


O PMDB, partido do presidente da República, Michel Temer, aproveitou a chegada do carnaval para fazer um trocadilho irônico com o partido do ex-presidente Lula. “Cuidados no carnaval para não dar PT”, afirma em publicação no Facebook com dicas para “curtir o melhor da folia”. A sigla PT é também é utilizada para se referir a sintomas causados pelo exagero na ingestão de bebidas alcoólicas.
Em nota, o Partido dos Trabalhadores afirmou que o repúdio às postagens do PMDB “vêm dos próprios internautas”.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

BOLSONORO: "ESSA MAMATA VAI ACABAR, EM GALERA... PODE ESPERAR AÍ!"

video

Pré-candidato à presidência da República mostra "saidão de carnaval" de presos da penitenciária da Papuda (Brasília-DF) e afirma: "ESSA MAMATA VAI ACABAR, EM GALERA... PODE ESPERAR AÍ!"

'CARA'... A COISA ESTÁ FEIA!

POESIA POPULAR NORDESTINA

DE: PIADA

- DELEGADO 'SAFRO' -

E tendo acontecido um crime de homicídio, em uma determinada cidade do Seridó Potiguar,  o delegado Arib Sageiv foi destacado para instaurar, e acompanhar o devido inquérito policial. Apesar de muito trabalho  efetuado, na primeira semana do inquérito o delegado ainda não tinha chegado a nenhuma pista do assassino. Passados mais alguns dias, assim como de repente, apareceu uma testemunha que tinha presenciado o crime, e que, devidamente protegido pela justiça, comprometeu-se a cooperar nas investigações. E o delegado ouviu essa testemunha, que o levou até o suspeito do crime.
O delegado levou a testemunha à residência do suspeito, para reconhecimento, e aí ele se deparou com mais uma dificuldade: O suspeito apresentado pela testemunha tinha um irmão gêmeo, exatamente igual a ele. E como a testemunha não conseguiu apontar qual dois gêmeos era o autor do crime, o delegado não teve outra saída, e prendeu os dois irmãos, que ficaram em celas separadas.
Após um mês da prisão dos gêmeos o inquérito ainda não apontava o autor do crime, e o delegado resolveu fazer uma acareação com os dois irmãos. Durante o trabalho de acareação o delegado percebeu que um dos irmãos gêmeos tinha engordado visivelmente, e que o outro gêmeo continuava com o mesmo físico de quando ele tinha sido preso.
O delegado Sageiv mandou que pesassem os dois gêmeos, e foi constatado o que ele já tinha percebido: Um dos gêmeos tinha engordado quase quinze quilos, enquanto que o outro gêmeo não tinha engordado nem uma grama. O delegado analisou detalhadamente todas essas últimas informações, e resolveu soltar o irmão gêmeo gordo, e indiciar o irmão gêmeo magro, como autor do homicídio.
Os auxiliares do delegado ficaram preocupados com a apresentação de uma justificativa de indiciamento nos autos do processo, e solicitaram que ele lhes apresentasse os motivos   para que o gêmeo gordo fosse liberado, e para que o gêmeo magro fosse indiciado. 
E o delegado lhes disse: