A LUTA CONTINUA!


"HÁ VITÓRIAS QUE EXALTAM, OUTRAS QUE CORROMPEM; DERROTAS QUE MATAM, OUTRAS QUE DESPERTAM."
Antoine de Saint-Exupéry

domingo, 13 de abril de 2014

E NEM DEU UMA BALANÇADINHA!


13 DE ABRIL DE 2014
Funcionário contratado há 24 anos no consulado-geral em Nova York, o motorista brasileiro João Luiz Navega, 53, foi dispensando sem direitos trabalhistas por urinar escondido num copo, atrás do carro, após trabalhar de 8h da manhã às 14h20 para a cônsul Ana Cabral Petersen. Com dor na uretra, foi impedido pelo porteiro do prédio de usar o banheiro. Teve que assinar a dispensa na rua, em 14 de março.

Sem poder abandonar o carro por falta de vagas, sob muita neve, Navega disfarçou com o casaco, mas não pôde se livrar do copo.

O sindicato dos servidores locais (Aflex) vai acionar o consulado, que  alegou “conduta inapropriada” do motorista, acusado de “louco”.

Conhecido pelos políticos que visitam Nova York, Navega já recebeu carta elogiosa do senador José Sarney pelos “excelentes serviços”.

A FULEIRAGEM DO DIA

- TIPOS DE CORNOS -

7 de setembro - Aquele que a mulher só dá bandeira.
120 - O que vê a mulher com outro fazendo um 69, sai e vai no boteco tomar uma 51.
Abelha - O que vai para a rua fazer cera e volta cheio de mé.
Ambulância - Aquele que quando vê a mulher com outro sai gritando: Uau! Uau! Uau!
Atleta - Enquanto ele sai para jogar futebol, o 'Ricardão' chega para encher a bola.
Azulejo - Baixinho, quadrado e liso.
Banana - A mulher vai embora e deixa uma penca de filhos.
Bateria - O que fica dizendo: "Vou tomar uma solução!".
Brahma - Aquele que pensa que é o número 1.
Cebola - Quando vê a mulher com outro, chora.
Cético - Quando vê a mulher com outro não acredita.
Desinformado - Só ele é que não sabe.
Dinossauro - Quando chega em casa, grita: "Querida, Cheguei!"
Galo - O que tem chifre até nos pés.
Inflação - A cada dia que passa o chifre aumenta.
Geladeira - O que leva chifre mas não esquenta.
Granja - O que dá casa e comida mas é os outros que comem.
Io-Io - Aquele que vai e volta.
Justiceiro - Aquele que se vinga dando o rabo.
Jibóia - O que dorme entre as pernas da mulher.
Macumbeiro - Chega em casa e tem que tirar o 'Caboclo' de cima da mulher.
Manso - O que vê a mulher com outro e só balança a cabeça.
Morcego - Aquele que só aparece à noite para chupar.
Político - O que promete: "Eu vou matar esse cara!"; mas nunca cumpre.
Porco - Aquele que só come resto.
Prevenido - O que liga para a esposa antes de ir para casa.
Religioso - Aquele que acha que a mulher dá para fazer caridade.
Salário - Baixinho e só comparece uma vez por mês.
Socialista - Aquele que não se importa em dividir com os outros.
Terremoto - Quando vê a mulher com outro começa a tremer.
Vingativo - Aquele que para se vingar dos chifres que a mulher lhe coloca, começa a dar a bunda.

AS PIADAS DO DIA

- O BAR DA SINUCA -

- O sujeito desabafa na consulta:
- Doutor… Eu tô ficando louco! Minha mulher é loira de cabelos compridos, tem 1.78m de altura, olhos azuis, seios fantásticos, 21 aninhos, coxas grossas, lábios carnudos… Uma delícia! E…
- Humm, e qual o problema? — responde o psiquiatra.
- Calma, Doutor… Deixa eu terminar… Ela tá me deixando maluco! Todas as noites ela sai e vai lá no Bar da Sinuca e fica se insinuando pra todos os homens! Vai pra cama com o primeiro homem que falar com ela! Eu não tô aguentando mais isso, Doutor! Pelo amor de Deus, o que eu devo fazer?
- Relaxe! — aconselha ele — Respire fundo… E agora, diga pra mim, aonde exatamente fica esse Bar da Sinuca?

<<<<<>>>>>

- AO VIVO E A CORES -

Um repórter do Jornal Nacional pergunta para um rapaz na praia de Copacabana:
- Por favor, você pode me dizer o que gosta mais de comer na vida?
- C..  com leite condensado!
- Ei, espera aí! Seja um pouco mais discreto, afinal estamos numa transmissão ao vivo, em rede nacional, diz a repórter.
- Desculpa aí, eu até que disfarcei… 
...na verdade nem gosto de leite condensado.

sábado, 12 de abril de 2014

RN: REDE DE POSTOS SPINELLI MOSTRA QUE GASOLINA PODE SER VENDIDA POR MENOS DE R$ 2,80



Enquanto a quase totalidade dos postos de gasolina que atuam no Estado do Rio Grande do Norte comercializam o litro do produto na faixa de R$ 3,03 a rede de postos de gasolina Spinelli, está comercializando o produto por R$ 2,79  obtendo um lucro justo e fazendo a  rede se expandir a cada dia que passa.
Gasolina "batizada"? Milagre? Nada disto.
Usando apenas de  criatividade,  cortando gastos desnecessários e usando de respeito e consideração aos seus fregueses, a rede Spinelli compra o produto à vista, não trabalha com cartões de crédito e não aceita cheques. Com estas ações a rede consegue obter um abatimento na faixa de 8%, valor este que  repassado ao consumidor faz com que a mesma gasolina vendida nos demais postos de gasolina do Estado, seja vendida por R$ 2.79.
A rede possui postos em Tangará, Bom Jesus, São José de Campestre e Santa Cruz (Serra do Doutor).

BIRA VIEGAS AVISA:


HISTÓRIA POLÍTICA DO RIO GRANDE DO NORTE

A CAMPANHA DE 1960

A campanha de 1960 foi a mais radical e a mais apaixonada já existente em toda a história política do Rio Grande do Norte. Aluízio Alves desde a eleição de Dinarte Mariz em 1955 já postulava a governadoria e para tanto vinha mantendo contatos diretos com a alta cúpula da União Democrática Nacional (UDN), onde exercia a função de Secretário Geral da Executiva Nacional.
Apontado pela imprensa nacional como um dos deputados mais atuantes da Câmara Federal, tendo vários projetos, requerimentos e pronunciamentos na defesa do desenvolvimento do Estado. Aluízio Alves considerava-se um candidato imbatível para concorrer pela UDN, como candidato ao Governo do Estado em 1960.  Aluízio Alves não admitia que nenhum colega da UDN pudesse interrompê-lo na marcha ao Palácio Potengi.
Os udenistas na época acreditavam que o próprio governador Dinarte Mariz não iria dá uma mancada, indicando outro nome para sucedê-lo. Teria que ser o nome de Aluízio Alves.
Dentro deste otimismo, Aluízio Alves já tinha chegado a declarar para os seus amigos no Rio de Janeiro e para a "grande imprensa", que já podia se considerar como candidato ao Governo do Estado nas próximas eleições. Com a morte dos senadores João Câmara e Georgino Avelino, ambos do Partido Social Democrático, dentro do PSD não tinha nenhum candidato que viesse fazer frente a sua candidatura.           
Mas dentro do Palácio Potengi a história era bem diferente, onde o então governador Dinarte Mariz já procurava outro nome para sucedê-lo. Este nome para Dinarte Mariz não podia ser o de Aluízio Alves. Apesar do próprio Dinarte em várias ocasiões ter confirmado para o Aluízio, que ele seria o candidato do partido nas próximas eleições ao Governo do Estado. Quando Dinarte Mariz chegou a afastar a candidatura de José Augusto ao Senado em 1958, tinha como objetivo de colocar a candidatura de Dix-Huit Rosado como candidato ao Senado, tirando dos Rosados, o direito de reivindicar a candidatura ao Governo do Estado para o próprio Dix-Huit Rosado ou de algum outro Rosado.
Na época em que começou a especulação em torno da sucessão de Dinarte Mariz, quando a imprensa começou a divulgar que o governador não aceitava a candidatura de Aluízio Alves, visto que queria Djalma Aranha Marinho como o seu sucessor, Aluízio Alves retornava ao Estado e na ocasião em que o avião em que viajava fez escala em Recife, um repórter do "Jornal do Comércio" da capital pernambucana, entrevistou Aluízio sobre a possível candidatura ao Governo do Estado. Na oportunidade Aluízio Alves confirmou que  independente da posição de Dinarte Mariz, ele já era candidato ao Governo do Estado. Caso continuasse pela ala governista a posição da não candidatura de Aluízio, ele sairia com a sua candidatura, através de uma ala dissidente da UDN que apoiava sua candidatura e os partidos de oposição, que até aquele momento não tinham candidato. Na verdade, o PSB já tinha o seu candidato Theodorico Bezerra, que poderia retirar a sua candidatura para apoiá-lo, apesar de serem inimigos políticos. Chegando a Natal, Aluízio anunciou oficialmente a sua candidatura e começou a contactar com o saudoso Clovis Mota, que na ocasião presidia o Partido Trabalhista Brasileiro no Estado. Com Djalma Maranhão foram feitos os mesmos contatos, visto que Djalma Maranhão estava disposto a sair candidato a prefeito de Natal, poderia ter saído governador, caso o seu partido o PSP não tivesse outro candidato para apoiar. Djalma Maranhão, aceitou a sua candidatura como Prefeito e de Luís Gonzaga como vice e apoiar Aluízio Alves ao Governo do Estado.
Naquela época Aluízio Alves mantinha semanalmente na Rádio Nordeste um programa denominado de "Conversa com o povo". Com o seu rompimento com o Governo do Estado foi obrigado a extinguir o referido programa naquela emissora, visto que a mesma era de propriedade de Dinarte de Medeiros Mariz. Com início da campanha, Aluízio Alves passou a fazer o referido programa na Rádio Poty diariamente, no horário compreendido das 11:30 às 11:45 horas.
Numa noite as escondidas, assim comentou à imprensa da época, "Aluízio Alves se deslocou para a fazenda de Theodorico Bezerra em Santa Cruz e fez um pacto com o presidente regional do PSD a fim de apoiá-lo para governador, desde que o vice fosse indicado pelo PSD".
Nesta mesma viagem Aluízio Alves chegou até Currais Novos e surpreendeu a todos, quando se hospedou na residência do então deputado estadual Radir Pereira do PTB e solicitou o seu apoio para a sua candidatura ao Governo do Estado.

AS PIADAS DO DIA

 DE PECADOR 
Um homem casado vai se confessar:
- Padre, eu quase pequei…
E o padre:
- Que quer dizer com “quase”?
- Encostei o meu “coiso” na empregada ontem à noite… Mas, na hora eu não enfiei. Por isso, foi “quase”!
- Encostar é a mesma coisa que enfiar… Você pecou, meu filho! Reze vinte ave-marias e colabore com cem reais para as obras da igreja, que será perdoado!
O cara sai do confessionário, reza vinte ave-marias, saca duas notas de cinquenta  reais da carteira e vai até à caixa de esmolas. Encosta as notas na ranhura, pensa um pouco e recua e guarda o dinheiro de volta.
O Padre, que estava à espreita, grita advertindo-o:
- Eu vi isso, seu pecador! Você não enfiou o dinheiro na caixa de esmolas!
- Ai é? Então já se esqueceu que encostar é o mesmo que enfiar?

 DE ÁRABE 
O diálogo abaixo foi registrado no balcão da alfândega:
- Seu nome ?
- Abu Abdalah Sarafi.
- Sexo ?
- Quatro vezes por semana...
- Não, não, não! Homem ou mulher?
- Homem, mulher, algumas vezes camelo...

 DE GAÚCHO 
O gaúcho volta de viagem, e antes de ir pra casa comenta com um amigo:
- Não aguento mais. Na hora que eu chegar em casa, a primeira coisa que vou fazer é arrancar a calcinha da minha mulher.
- Mas bah, tchê! Tudo isso é saudade da véia!
- Saudade nada! É que está me apertando o dia todo.

 DE BÊBADO 
Em noite de feroz inspiração, “Rui Barbosa” saiu a passeio pelo campo, e, topando com um roceiro que contemplava o luar, disse-lhe:
- És um amante do belo! Acaso, já viste também os róseos-dourados dedos da aurora tecendo uma fímbria de luz pelo nascente, ou as sulfurosas ilhotas de sanguíneo vermelho pairando sobre um lago de fogo a esbrasear-se no poente, ou as nuvens como farrapos de brancura obumbrando a lua, que flutua esquiva, sobre um céu soturno?
- Ultimamente, não – respondeu o caipira pasmado. Faz um ano que num boto uma gota de pinga na boca.

POESIA POPULAR NORDESTINA

LÁ NA CHINA CORRUTO É FUZILADO
E A FAMÍLIA INDA PAGA A MUNIÇÃO!
Bráulio Tavares

Vou-me embora morar na velha China
que tem lá seus defeitos, tudo bem,
mas o nosso defeito ela não tem:
dar guarida a quem vive da rapina.
Deputado que lá ganha propina
pagará com a vida a corrução!
Lá na China político ladrão
bem depressa vai preso e condenado…
Lá na China corruto é fuzilado
e a família inda paga a munição!
- - - - -
Desde o tempo das velhas dinastias
toda vez que um político roubava
na melhor das hipóteses ficava
na prisão pelo resto dos seus dias.
Liminares, renúncias, anistias…
nada disso na China é solução!
O remédio é fuzil e pelotão
e um apito na boca dum soldado…
Lá na China corruto é fuzilado
e a família inda paga a munição!
- - - - -
Se um ministro chinês é desonesto
e é pilhado fazendo trambicagem,
a Justiça deslancha a engrenagem
que liquida a questão sem deixar resto.
Doze balas é um preço bem modesto
e o país nunca perde um só tostão
debita na conta do finado…
Lá na China corruto é fuzilado
e a família inda paga a munição!

<<<<<>>>>>