A LUTA CONTINUA!


ONDE A SERIEDADE É FULEIRA... E A FULEIRAGEM É SÉRIA!

sábado, 30 de julho de 2016

DE: PIADA

CASAMENTO E NAVIOS

Dois amigos conversando:
— Pô, Rodrigão... Acho que eu vou me separar!
— Que é isso, amigão? Se separar por quê?
— Eu não aguento mais a minha mulher!
— Não aguenta como? Ela tá muito gorda e você não aguenta carregar? Ué, então não carrega...
— Não, Rodrigão! Não é nada disso!
— Já sei, você anda broxando! Toma um Viagra, cara! Mas não deixa isso te desanimar não...
— Não, Rodrigão! Você não tá entendendo nada! Eu não aguento mais essa rotina do casamento! Casamento é um saco!
— Ah, não fala assim, amigão... Casamento é o porto onde dois navios se encontram e seguem navegando juntinhos... Não é lindo?
— Ah, agora entendi tudo!
— Entendeu tudo? Como assim?

sexta-feira, 29 de julho de 2016

LULA: "A UM PASSO DO PARAÍSO"



SURPRESO POR LULA TER VIRADO RÉU, PT ENTRA EM ALERTA


A cúpula do PT entrou em alerta com a o fato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter virado réu sob a acusação de obstruir a Operação Lava Jato. A decisão pegou de surpresa a cúpula do partido. E fez crescer o temor do grupo mais próximo do ex-presidente com a possibilidade de uma eventual prisão de Lula.
O que mais surpreendeu dirigentes petistas foi o fato dessa decisão não ter saído das mãos do juiz federal Sérgio Moro em Curitiba. Até então, a estratégia era fazer um enfretamento direto com Moro para politizar a questão.

Até mesmo uma reação internacional foi arquitetada para criar um constrangimento na Lava Jato. A defesa de Lula chegou a contratar um advogado na Inglaterra para recorrer ao Comitê de Direitos Humanos da ONU contra o juiz Sergio Moro, acusando-o de violar direitos.

Mas, ao Blog, petistas afirmaram que não esperavam a decisão de hoje pelas mãos de outro magistrado. O juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília, foi quem recebeu denúncia e transformou em réus o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-senador Delcídio do Amaral e mais cinco pessoas por tentativa de obstrução da Lava Jato.

A decisão de hoje esvaziou o discurso da defesa de Lula de perseguição política do juiz Sérgio Moro. Quando o ministro Teori Zavascki, do STF, decidiu desmembrar esse fato, transferido para a Justiça Federal em Brasília, petistas comemoraram.

POESIA POPULAR NORDESTINA

DE: PIADA

 QUESTÃO DE HONRA

Feriadão a menina resolve acampar com o namorado...
- Mamãe, posso acampar com o meu namorado?
- Pode filha!  Mas tem o seguinte: vai ter uma hora que ele vai tentar subir em você filha e você não deixa! Isso desonra a nossa família!
 Passado o feriado...

SUSTO E SURPRESA


Um fato acontecido na madrugada desta sexta-feira (29) colocou em polvorosa alguns  moradores  de uma cidade do interior da região Nordeste que se encontravam em uma praça existente em frente  ao cemitério municipal. 
Os moradores estavam  'tomando 'mas e outras' quando   avistaram um vulto trajado de branco descendo de um carro de luxo, e  apavorados fugiram em desabalada carreira pensando se tratar de uma "assombração".
Um desses populares comunicou o fato a 'Polícia Municipal', que se dirigiu até o local onde constatou não se tratar de nenhuma "assombração"; na verdade, o vulto era o prefeito  que após quase quatro anos ausente da cidade que o elegeu voltava para se integrar à campanha do seu sucessor.

"SÓ ESTÁ FALTANDO SE QUEIXAR AO PAPA"

quinta-feira, 28 de julho de 2016

SERVIDOR PÚBLICO: "PREPARE O ESPINHAÇO PARA TOMAR AS LAPADAS"

ALERTA: PLP 257 É GRAVE AMEAÇA AO SERVIÇO PÚBLICO E PRECISA SER COMBATIDO

Avança a passos largos na Esplanada dos Ministérios o maior golpe contra os trabalhadores brasileiros, jamais visto. Gestado em conjunto pelo Palácio do Planalto e Congresso Nacional, o ataque vem na forma de projetos de leis que arrancam direitos já conquistados pelos trabalhadores e lançam apenas incertezas sobre o futuro, tudo sob as bênçãos do empresariado nacional, dono da maior e mais bem financiada bancada do parlamento.
A bomba da vez é o PLP 257/16 que tramita em regime de urgência na Câmara e traz na ementa a descrição quase poética da proposta do projeto: Estabelece o Plano de Auxílio aos Estados e ao Distrito Federal e medidas de estímulo ao reequilíbrio fiscal. O que a ementa esconde, mas o texto deixa claro, é que a ajuda aos estados e municípios e o equilíbrio fiscal serão conseguidos à custa de demissões e retirada de benefícios tanto dos trabalhadores do setor privado, quanto daqueles do setor público, nas três esferas: municipal, estadual e federal. Ninguém escapa e a faca de ouro é empunhada pelo Legislativo e o Executivo federais. A previsão é que o projeto seja votado no plenário da Câmara, na segunda-feira, 1º de agosto.

Na avaliação da Fenajufe o projeto é uma grave ameaça e precisa ser combatido, através da mobilização dos servidores. O PLP 257/16 propõe, entre outras, as seguintes medidas que afetam diretamente os servidores públicos:

- Não concessão de aumento de remunerações dos servidores a qualquer título, ressalvadas as decorrentes de atos derivados de sentença judicial e previstas constitucionalmente;

- Elevação de contribuições previdenciárias dos servidores para 14%;

- Reforma do regime jurídico dos servidores ativos, inativos, civis e militares para limitar os benefícios, progressões e vantagens;

- Vedação da criação de cargos, empregos e funções ou alteração da estrutura de carreiras;

- Suspensão da admissão oucontrataçãode pessoal;

- Implementação de programas de Desligamento Voluntário e Licença incentivada de servidores e empregados.

- Redução de 10% da despesa mensal com cargos de livre provimento.

O momento é grave e requer ação. Ou os servidores se mobilizam e impedem a aprovação destas medidas, ou o processo de inviabilização do serviço público será acelerado, abrindo ainda mais caminho à substituição pelas “terceirizadoras”, tendo como o pano de fundo a flexibilização das leis trabalhistas e a prevalência do combinado sobre o legislado.

Mas o 257 não vem sozinho. Outras ameaças graves também tramitam, como a PEC 241/16 e a proposta de reforma da previdência, com discussão em curso com o parlamento, mas sem projeto de lei formalizado. Os temas serão objeto de matéria no decorrer da semana.

A Fenajufe já discute as estratégias que serão adotadas na tentativa de barrar mais este ataque contra a categoria, principalmente no momento em que a opinião pública, saturada, distancia-se do debate.

NATAL - RN: É HOJE!

AMAZAN  FAZENDO A FESTA NA PEPPERS HALL
(Av. Engenheiro Roberto Freire, 3071 - Capim Macio, Natal - RN)

VAI SER SÓ ALEGRIA... E MUITO FORRÓ!
 VAMOS QUE VAMOS !

DE: PIADA

CONVERSA DE CASAL

Chegando em casa,  após uma noitada em uma boite da moda,  a mulher resmunga com seu marido:
— Você não tem a menor consideração comigo. Imagine... me levar naquela boate onde todo mundo ficou me olhando. Tá na cara que você é freguês habitual... O garçom te chamou de "meu amigo", o manobrista de "meu chapa"... Você deve ter levado todas as suas amantes lá. Eles vão pensar que eu também sou mais  uma das suas vagabundas
— Que nada, meu amor! Todo mundo percebeu que somos casados!
— Como assim?

ATENÇÃO SENHORES POLÍTICOS...

Estou oferecendo meus serviços de 'cabo eleitoral'

Serviço básico:
Aluguel do vidro traseiro de meu carro para postagem de adesivo de candidato de qualquer partido.
R$ 400,00 até as eleições - (sem garantia).
R$ 800,00 até as eleições - (com garantia - Não será arrancado antes).
Acréscimo de 50% para candidato Ficha Suja e 10.000% para investigados pela Lava Jato.

Outros serviços:
R$ 500,00/jogar tomate ou ovo podre em candidato adversário (10 arremessos).
R$ 100,00/hora: Balançar bandeira em comício
R$ 160,00/hora: Balançar bandeira em comício (setor sem asfalto)
R$ 300,00/evento: Fazer caminhada logo atrás do candidato distribuindo santinho e sorrindo.
R$ 200,00/carreata + requisição de gasolina: (sem  buzinar).
R$ 250,00/carreata + requisição de gasolina: (buzinando.
R$ 250,00/discutir política (sem perder a amizade).
R$ 1.350,00/perdendo a amizade.

Serviços com preços a combinar:

*Fazer política pelo Facebook.
*Trocar capa do Facebook.
*Curtir páginas de candidatos.
*Tirar xerox do título de eleitor (sem garantia de voto).
*Defender candidato em postagens de amigos.
*Distribuir cesta básica.

Forma de pagamento: 
Antes do serviço a ser prestado (igual entrada de cinema)

Telefonar para (15) 96951249 e falar com Ernestino.

quarta-feira, 27 de julho de 2016

HENRIQUE EDUARDO ALVES VIRA RÉU EM AÇÃO PROPOSTA PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL DO DISTRITO FEDERAL

 Em decisão, juiz da 16ª Vara Federal recebe ação de improbidade administrativa apresentada pelo Ministério Público em 2004

A Justiça Federal de Brasília decidiu receber ação de improbidade administrativa contra o ex-ministro do Turismo e ex-deputado federal Henrique Eduardo Alves. A partir dessa decisão,  Alves passa a responder como réu no  processo que apura indícios de enriquecimento ilícito  entre 1998 e 2002, período em que exerceu  mandato parlamentar. Proposta pelo Ministério Público Federal (MPF) em 2004, a ação já havia sido recebida, mas o prosseguimento do processo foi interrompido depois que o acusado apresentou recurso questionando a prescrição dos fatos, bem como a legitimidade das provas apresentadas pelo MPF. No entanto, depois de analisadas essas questões pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, o caso prosseguiu com o juiz de primeiro grau. Nessa instância, o magistrado da 16ª Vara Federal, Marcelo Ribeiro Pinheiro, decidiu que há provas suficientes para confirmar o recebimento e dar continuidade à ação de improbidade.

Sobre os requisitos para que o caso fosse reaberto, o juiz analisou a peça inicial apresentada pelo MPF e concluiu que a ação “descreve minuciosamente as circunstâncias fáticas e jurídicas que embasam, de modo suficientemente preciso e capaz de ensejar o seu prosseguimento”. Já em relação à prescrição, o magistrado explica que, de acordo com a lei, o prazo prescricional para ação de improbidade administrativa começa a correr após o término do último mandato do parlamentar. No caso analisado, o acusado foi deputado federal  por 11 mandatos consecutivos, de 1971 a 2014. Embora a ação de improbidade se refira a irregularidades cometidas no período de 1998 a 2002, Alves continuou no cargo  de parlamentar até 2014. De modo que o juiz concluiu: enquanto não cessa o vínculo do agente com a Administração, não tem início o prazo prescricional.

Na mesma decisão, o juiz também se manifestou sobre o pedido do MPF - feito ainda em junho deste ano -  para que fosse levantado o sigilo do caso. Marcelo Pinheiro decidiu pela publicidade dos autos, já que nas ações de improbidade administrativa, é evidente o interesse social,” o qual exige a publicidade justamente para que se possa dar o direito ao povo de conhecer a fundo as atitudes de seus representantes políticos”. No entanto, o processo não é totalmente público. Tendo em vista que existem documentos anexados ao processo que podem expor a privacidade do envolvido, como extratos bancários e faturas de cartão de crédito e dados fiscais, o magistrado determinou sigilo em relação a essas informações.

A ação de improbidade - A ação do Ministério Público, apresentada há mais de 12 anos, levou à Justiça o fato de que Henrique Eduardo Alves demonstrava sinais de riqueza incompatíveis com sua renda e seu patrimônio declarados como deputado federal e empresário. Constam das  irregularidades apontadas à época : transferência patrimonial dissimulada; despesas e gastos em montante superior à receita declarada; titularidade dissimulada de sociedades comerciais, contas-correntes, investimentos, movimentação financeira e cartões de crédito em instituições financeiras com sede na Suíça, nos Estados Unidos e em paraísos fiscais, bem como por meio de empresa off-shore - sem que fossem identificadas as saídas de divisas do país.

Como exemplo de irregularidade, foi citada uma movimentação em instituição financeira sediada no exterior de mais de três centenas de milhares de dólares americanos em despesas. Isso somente em faturas de cartão de crédito emitido no exterior, e de titularidade de Henrique Eduardo Alves .Outras situações também chamaram  a atenção do MPF. Alves usufruía de um padrão de vida luxuoso, bancava os gastos de diversos cartões de crédito para os filhos e para a esposa e ainda era chamado de “riquinho” pelos demais parlamentares. O Ministério Público também  revelou que a ex-esposa de Alves, Mônica Azambuja, teve durante um bom tempo suas despesas pagas pelo ex-marido, além de ter recebido a quantia de R$ 1,5 milhão entre 2002 e 2003 como indenização em divórcio

ELEIÇÕES - 2016: JARDIM DO SERIDÓ (RN)

O pré-candidato à prefeitura de Jardim do Seridó, pelo PTC, Clemir  Guedes acaba de entrar em contato com este blog informando o dia da realização da convenção do seu partido, que irá indicar seu nome como candidato à prefeito e vice,  Irma Dantas.


"Pirado", como é popularmente conhecido informou que a convenção  será realizada à partir das 16hs da próxima sexta-feira (29) na Câmara Municipal de Jardim do Seridó.