A LUTA CONTINUA!


ONDE A SERIEDADE É FULEIRA... E A FULEIRAGEM É SÉRIA!

domingo, 25 de outubro de 2015

POESIA POPULAR

AUSÊNCIA E SAUDADE
Elizeu Ventania

Ao ver a lua eu recordo a minha terra,
O pé da serra que nasci e me criei
Onde gozei o meu tempo de criança.
Tenho a lembrança de uma noite que cantei
A dez de agosto, numa noite enluarada
Lá na calçada afinei meu violão.
Foi nessa hora que chegou minha querida
Por despedida ofertei-lhe esta canção.

Adeus querida que amanhã irei embora
Chegou a hora, vou partir do meu sertão
Passar uns anos sem andar nessa cidade
Grande saudade levarei no coração
Minha alma triste nesta hora continua
Somente a lua testemunha o nosso amor.
Eu só adoro neste mundo a ti, querida
A minha vida sem te ver não tem valor.

Porém preciso atender o meu destino
Sou um peregrino que nasci para sofrer
O meu desejo de andar é tão profundo
Todo este mundo eu pretendo conhecer
Porém te peço pra aguardar a minha vinda
A jovem linda nessa hora se inspirou
A minha alma se encheu de sofrimento
Neste momento veio o dia o sol raiou.

Despedi-me do meu pai e da menina
A minha sina e sofrer e viajar
Padeço tanto pelo mundo desprezado
Abandonado, levo a vida a lamentar
Longe de casa não esqueço um só instante
A minha amante, meus irmãos e os meus pais
Pra onde olho a tristeza está de testa
Hoje me resta sofrimento e nada mais.

- - - - - x - - - - -

Nenhum comentário: