A LUTA CONTINUA!


ONDE A SERIEDADE É FULEIRA... E A FULEIRAGEM É SÉRIA!

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

FOLCLORE POLÍTICO BRASILEIRO

MÉTODO EFICAZ
 
O coronel Barreto Mota foi um valoroso ex-comandante da Polícia Militar de Sergipe - posteriormente Secretario de Segurança, no governo João Alves - que, utilizando um "humanitário método de trabalho" causava temor na bandidagem que assolava o estado.
Conta a história que certa vez, Barreto Mota foi convocado pela Assembleia Legislativa de Sergipe, para se pronunciar sobre à aplicação desse seu método, que para alguns deputados era classificado como muito cruel.
No dia marcado o Coronel chega para sua oitiva, carregando uma vistosa maleta modêlo 007. A sessão é iniciada e um deputado que tinha fama de ser defensor de elementos considerados (pelo próprio deputado) como "pessoas de bem", questionou com veemência a razão de parte dessas pessoas terem sido "encaminhados para o andar de cima".
Calmamente o coronel abre a 007 e retira de dentro da mesma vários bilhetes. Escolhe um,  se aproxima mais do microfone que estava a sua frente e...
- Nobre deputado, uma dessas "pessoas de bem" a que o senhor se refere é um que assassinou fulano de tal tendo sido  preso justamente por minha pessoa, e que por um pedido de vossa parte  tive que soltá-lo, conforme esse bilhete que apresento aqui neste momento.
E prossegue...
- Este outro bilhete é um pedido de liberação de uma turma de "pessoas de bem" feito por esse deputado que está sentado ao seu lado direito. Já este outro é um pedido desse deputado que está sentado a sua frente para eu liberar um cabaré na praia de Atalaia, onde a maior parte de vocês até os dias de hoje são fregueses de carteirinha. Tem esse outro bilhete que...

Neste instante o presidente da Assembleia interrompe a oitiva do coronel e suspende por trinta minutos os trabalhos da casa. Passados os trinta minutos a sessão é reiniciada, mas o  assunto era outro, totalmente diferente,  e nunca mais  aquela casa de Leis implicou com os "humanitários métodos de trabalho" empregados por Barreto Mota. 

Nenhum comentário: