A LUTA CONTINUA!


ONDE A SERIEDADE É FULEIRA... E A FULEIRAGEM É SÉRIA!

terça-feira, 31 de maio de 2016

DELEGADA DA OPERAÇÃO LAVA JATO É A MAIS VOTADA AO CARGO DE DIRETOR-GERAL DA POLÍCIA FEDERAL

A lista será entregue ainda esta semana ao presidente Temer

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) anunciou nesta terça-feira (31) os nomes dos três delegados mais votados dentro da eleição interna para disputar o cargo de diretor-geral da PF. A coordenadora da Lava Jato, Erika Malik Marena, única mulher na disputa, foi a mais votada com 1.065 votos. O delegado Rodrigo de Melo Teixeira obeteve 924 votos e, em terceiro, Marcelo Eduardo Freitas 685.
O presidente da ADPF, Carlos Eduardo Sobral, pretende entregar a lista tríplice ao presidente Michel Temer e ao ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, já nesta quarta-feira (1). A associação de delegados acredita que o processo de escolha do novo diretor-geral é uma ferramenta de impedir nomeação política para o mais alto cargo da instituição. Do total de 2.257 asociados da ADPF, votaram 1.338.
Apesar de ser a mais votada, a delegada Erika pode não ser a escolhida de Temer. Conforme publicou o Diário do Poder ontem, o atual diretor da PF, Leandro Daiello, foi o sexto mais votado em 2010, em lista sêxtupla feita pela Federação Nacional dos Delegados de Polícia (Fenadepol), e mesmo assim foi nomeado pelo então ministro José Eduardo Cardozo para o cargo, onde permanece até hoje.

Quem é quem

Natural de Apucarana/PR, a delegada federal Erika Mialik Marena entrou para a Polícia Federal em 2003. Logo no primeiro ano participou da Delegacia de Crimes Financeiros (DELEFIN), em São Paulo/SP. Em 2005 foi coordenadora da Força-Tarefa CC5, em Curitiba/PR. Dois anos depois ingressou no Grupo de Repressão a Crimes Financeiros (GRFIN), em Curitiba/PR, permanecendo até 2011, sendo que os dois últimos anos foi Chefe do GRFIN.
Mineiro de Barbacena, o delegado Rodrigo de Melo Teixeira ingressou na PF 1999, após aprovação no concurso público do ano 1997/1998. Ao longo da carreira, exerceu diversas funções de chefia, como na Delegacia de Repressão ao Tráfico de Entorpecentes na SR/PF/TO; no Núcleo de Combate a Crimes Financeiros (atual DELEFIN) na SR/PF/MG; na Delegacia de Imigração (Delemig). Também ocupou o cargo de corregedor da Superintendência Regional da Polícia Federal de Minas Gerais.

De Montes Claros, Minas Gerais, o associado Marcelo Eduardo Freitas se tornou delegado da PF em 2000. Atualmente, chefia a Delegacia da Polícia Federal em sua cidade natal. Com a conclusão da graduação em direito em 1999, Freitas é, também, professor da Academia Nacional de Polícia, em Brasília, e doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidad Del Museo Social Argentino.

Texto & foto: Diário do Poder

Nenhum comentário: