A LUTA CONTINUA!


ONDE A SERIEDADE É FULEIRA... E A FULEIRAGEM É SÉRIA!

segunda-feira, 12 de junho de 2017

POESIA POPULAR NORDESTINA


Meu Padim Ciço do Juazeiro
Tão milagreiro eu sou romeiro do sertão
 
Meu Padim Ciço do Juazeiro
Tão milagreiro a minha grande devoção

- - - x - - -
De pé no chão, de caminhão, lá vai a fé.
Todo caminho só é caminho pra quem tem fé
Que terra seca, que vida seca
Não perca a fé, João.
Que Padim Ciço levou sumiço
Mas não morreu irmão
 
- - - x - - -
No tempo Deus, no homem Deus, o mundo é Deus.
A fé em tudo é meu escudo até o adeus
Caminha o crente sempre pra frente
Atrás da salvação
Pensando nisso, que Padim Ciço.
Nunca morreu, irmão.

- - - x - - -
Lá vai João, uma geração, uma opinião.
De quem peleja e tanto almeja uma solução
O sinal da cruz, a oração:
As armas do cristão
Que sabe disso que Padim Ciço
Nunca morreu, irmão.

- - - x - - -
Meu Padim Ciço do Juazeiro
Tão milagreiro eu sou romeiro do sertão
Meu Padim Ciço do Juazeiro
Tão milagreiro a minha grande devoção
 - - - - - - -

Saiba mais sobre o poeta Janduhy Finizola clicando no link abaixo:

Nenhum comentário: